RADIO ALTERNATIVA THE ROCKERS

DA UM GAS NO VOLUME

RADIO ALTERNATIVA THE ROCKERS

AQUI VOCE OUVE PORQUE NOS OUVIMOS VOCE

O MELHOR DO ROCK

SABADO AS 19 HORAS

OUÇA A RADIO ATR

PARA PEDIDOS CLIQUE ABAIXO

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

Neil Peart: faleceu o lendário baterista do Rush





É verdade. Se 2019 nos maltratou bastante, 2020 já chega acabando com o sonho de ver (ou rever) o trio canadense RUSH.
Neil Ellwood Peart, baterista e escritor, faleceu na terça-feira, 7 de janeiro. Neil tinha 67 anos e há três lutava contra um câncer no cérebro. A notícia de seu falecimento foi confirmada por Elliott Mintz, porta-voz da família, e pela banda à ROLLING STONE.



A banda já tinha encerrado as atividades em 2015, com Neil decidindo se aposentar das turnês para passar mais tempo com a família. Apesar disso, a esperança de que retornassem à estrada ainda vivia no coração dos fãs. Rumores de que o fariam com Mike Portnoy chegaram a acontecer no final do ano passado, mas foram desmentidos.



Embora o primeiro álbum do Rush tenha sido lançado em 1973, a banda foi formada pelo menos cinco anos antes. Jeff Jones era o baixista e vocalista. John Rutsey era o baterista. Alex Lifeson o guitarrista. Você não leu errado! Alex é o único membro original da banda canadense. Mais tarde, Geddy Lee entra no lugar de Jones que resolvve entrar na banda gospel Ocean, lançando um single de sucesso no Canadá e, nas décadas seguintes se envolveu em muitos projetos de bandas naquele país. Já Rutsey gravou o primneiro álbum do Rush, e devido a complicações por conta de uma diabetes piorada por causa de seus hábitos alcoólicos, o baterista se viu obrigado a sair da banda, mais tarde se tornando fisiculturista e trabalhando no mercado desse segmento.


Inicialmente inspirado por Keith Moon e John Bonham, Neil Peart tinha 22 anos quando entrou no Rush em 1974 e, desde então, trilhou um caminho que o consolidou, com méritos, como um dos maiores bateristas da música mundial, não só do Rock. Embora não seja membro original da banda, jamais foi coadjuvante, não só por criar solos e linhas de bateria que tornaram-se uma das marcas registradas dos discos e shows do Rush, com sua aparelhagem enorme, como se fosse uma espécie de gaiola, proporcionando uma enorme gama de sonoridades. Mas também por ser o letrista da maioria das músicas da banda, devido seus interesses por filosofia, ficção científica e política.


Peart construiu um legado incontestável. Os álbuns que gravou com o Rush influenciaram e inspiraram muitos músicos, famosos e não famosos. E sua história ficou ainda maior ao superar uma terrível tragédia pessoal e retomar sua carreira, mostrando enorme respeito pela música, pelos colegas de banda e pelos fãs. O que se sabe é que suas viagens de moto ainda continuam. Na última turnê européia da banda, ele viajava grandes distâncias de moto entre uma cidade e outra em que a banda estava agendada.
Sua obra é eterna. E nós, admiradores da boa música, somos eternamente gratos por sua contribuição impressionante à arte.

NOSSO WHATSAPP DA RADIO

NOSSO WHATSAPP DA RADIO
ENTRE EM CONTATO